sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Arlequim Portugues

História
  Sendo o canário selvagem oriundo das ilhas Canárias, espanholas, Madeira e Açores, portuguesas, é estranho que existam algumas variedades de canários ingleses, espanhóis, franceses, italianos, belgas, suíças, alemãs e mesmo japonesas e americanas, e não tenha surgido, ao longo de séculos, uma raça portuguesa de canários.
Os criadores portugueses se mantinham fieis ao canário rústico, variegado, em que o lipocromo e o melânico se fundem, muito antes de as organizações internacionais estabeleceram a rígida divisão entre melânicos e lipocromos que é, naturalmente, uma divisão artificial, embora lógica e aceitável.


arcadenoe.sapo.pt
As aves variegadas eram de dois tipos: ou amarelo e verde ou cinza e branco. Nos últimos 15 anos tem observado o aparecimento de aves portadoras de uma mistura do cinza com o laranja, o bronze, o branco, o amarelo, aves de uma grande beleza e estrutura de corpo, viveza de expressão e alegria de canto, além de uma rusticidade elevada.

http://canariosarlequimportugues.blogspot.com/

Decidiu, por isso, cultivar este tipo de canários. O exame cuidadoso permitiu-lhe observar a existência, além destas cores, do castanho do dorso, que não toma a cor de fundo laranja, e os bastonetes negros. Para Saber o Standard Clique AQUI

Generalidades
O canário Arlequim Português é, essencialmente, um canário de desenho, polícromo, vivo, rústico, alegre, que mantém a tradição da variedade de desenho, que existiu sempre nos ancestrais criados pelos passarinheiros.

É curioso observar como algumas raças de canários deixam transparecer de modo significativo o carácter das populações que os criaram: O Frizado Parisiense parece conter em si uma bailarina de Can-Can. Por sua vez o Yorkshire representa a distinção do lord inglês. Ao alemão assemelha-se o canário do Harz, resultado de uma disciplina rigorosa, assumida em escolas alinhadas, como os elementos de um exército. O Timbrado reflecte o folclore espanhol, com as suas castanholas.

Em Portugal, mercê das características da população, rústica, avêssa a racismos e, ao contrário, mais dada a fusão das raças, criou-se um canário de cores múltiplas, vivo, alegre. É o canário Arlequim Português.

Deve notar-se que esta raça permite uma variedade de desenhos que tornam a sua criação fascinante pelo imprevisto e impede a monotonia que outras raças de cor imprimem às exposições onde são apresentadas centenas de aves todas iguais, com pequenas diferenças, só reconhecíveis por especialistas.

Surgiu um canário português!

Somos muito desconfiados em relação aos produtos portugueses e se alguém se propõe fazer algo de novo há logo uma data de críticos encartados que, por baixo de um sorriso encapotado, se armam em doutores da lei, sempre prontos a criticar, embora não se disponham a fazer. Não fazem, nem deixam fazer, como é costume dizer-se. Inveja? Nem isso. É apenas a mesquinhez da nossa tradição.

Esta é, sem dúvida, a maior e principal raiz da nossa incapacidade. É evidente que sem um trabalho de equipa não é possível criar uma raça. Só o trabalho de conjunto permite lançar um novo tipo de canários. Portanto, se não houver entre ajuda , nada feito.

Mas antes de tudo é preciso ter a ideia, criar um standard próprio. Pois bem, isto já está feito. Já surgiu um canário português!

Foi primeiro apresentado a nível de Clubes e feita a primeira apresentação ao Clube de Juizes, em seguida, fez o seu aparecimento no 58º Campeonato Nacional, na Exponor.

Pode dizer-se que, apesar das naturais reticências criadas em redor de tudo o que é novo, o canário Arlequim Português foi um êxito. A avaliar pelo número de criadores que se inscreveram para adquirir reprodutores, visto que os disponíveis se esgotaram rapidamente, estamos certos de que em breve os amadores portugueses terão em suas casas esta magnífica ave que não desmerece de qualquer outra criada pelos estrangeiros.

Fonte : http://arcadenoe.sapo.pt/artigo/um_canario_portugues_/193
Visite também : http://sites.google.com/site/arlequimportugues/ ,
http://canariosarlequimportugues.blogspot.com/

2 comentários:

Armindo Tavares disse...

Olá Roberto,
Permita-me uma pequena correcção, no Arlequim Português não é actualmente obrigatória a presença de seis cores, embora estas o embelezem ainda mais. No item cor, do Standadrd do Arlequim Português diz que o mesmo deve ser equilibradamente variegado sendo obrigatória a coloração artifical.
Saudações ornitófilas.

Roberto Mauro disse...

Ola Armindo Tavares,
Obrigado pela atenção ao texto e pela correcção relativamente ao standard em relação as cores, por acaso não conhecia este nosso canário português, e achei - o bem interessante e bonito.
Saudações ornitófilas.